DEPOIMENTOS

 

Gavira

 

            Engates e dormentes

 

            Os trens estão em boa parte da imaginação da população nacional, principalmente a do interior. Eles alimentaram os sonhos de toda uma geração e infelizmente foram desaparecendo em função de outras escolhas da política nacional de transportes.

            Mesmo assim, eles constituem uma fonte quase inesgotável para a criatividade. O escultor Gavira, nascido em Birigui, Estado de São Paulo, encontrou justamente nesse universo o ponto de partida para o desenvolvimento de uma série em que selecionou especificamente um elemento do mundo ferroviário: os engates.

             Ao realizá-los em bronze, cria numerosas analogias, especialmente a da visão deles como a expressão visual do encaixe entre masculino e feminino, uma temática anteriormente elaborada numa série figurativa. Além da questão plástica, surge um elemento existencial na interação entre elementos díspares e complementares.

            A base empregada para as esculturas são os dormentes, ou seja, pedaços de madeira utilizados para distribuir as cargas passadas pelo trem para o solo e para impedir que os trilhos metálicos se separem. Isso oferece ao trabalho um fascinante teor rústico.

            Ao retomar um assunto que lhe é familiar, já que os trens povoaram a sua infância, e dar-lhe uma feição contemporânea, pelo diálogo entre o bronze e a madeira, Gavira emociona e envolve o observador. Sua arte conquista assim por juntar a memória à técnica.

A frieza do metal ganha humanidade pela conversa com o elemento orgânico e por aquilo que evoca de lembrança e de imaginário coletivo enquanto obra de arte. Cada engate é um elo com o mundo dos trens e com um mundo que poderia ter sido e não foi, mas que continua a ser evocado em nossa mente.               

 

Oscar D’Ambrosio, jornalista e mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Unesp, integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA- Seção Brasil).

 

 

Quem é Gavira?
 

O escultor! O profissional da ciência! O homem da família!

 

Gavira herda de seu avô Malaguenho traços de personalidade extremamente marcantes; a curiosidade e a coragem para escapar do mesmismo, do conformismo, do banal. Na sonhada esperança-ceteza, de poder descobrir e entender o sentido da vida.

Dra. Terezinha
 
 
Exposição Individual

Joh Mabe Espaço Arte & Cultura abre a exposição Uniões e Engates, primeira mostra individual do artista plástico Admir Belmonte avira, com curadoria do Joh Mabe, produção de Ely Iutaka e texto crítico de Enock Sacramento. A exposição é composta por 31 esculturas, em bronze ou resina, exibindo um recorte das diversas fases de produção do artista nos últimos 13 anos.